Unaí terá de desprezar 5 mil doses de vacina, se quem já pode tomar a 2ª e 3ª doses não procurar posto

Prazo de validade do lote de imunizantes vence no dia 23 de dezembro. De acordo com levantamento da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, cerca de 6 mil unaienses já poderiam tomar a segunda dose da vacina contra a covid-19 e ainda não procuraram um posto de vacinação.


A Secretaria Municipal de Saúde de Unaí (Sesau) manteve três postos abertos, no último sábado (4/12), das 8h às 17h, para tentar vacinar quem está atrasado com a 2ª e a 3ª doses, mas a procura foi baixa. Nesse dia, a Sesau esperava vacinar pelo menos 1.500 pessoas. Vacinou apenas 480.

 

Profissionais da saúde convocados para o trabalho ficaram ociosos a maior parte do tempo.
A coordenadora de Epidemiologia da Sesau, Adriane Araújo, alerta que o município poderá "desprezar" 5.000 doses de vacina contra a covid-19, a partir do dia 23 de dezembro, porque os imunizantes podem perder a validade. "A partir do momento em que recebemos a vacina, temos 30 dias para a aplicação", explica Adriane.


E o lote de imunizantes "perdido" pode fazer falta mais à frente, quando as pessoas (que já podem tomar a dose de reforço e não procuram) resolverem retornar aos postos, com bastante atraso, para serem imunizadas. "Pode sim, acontecer, das pessoas [que já podem tomar a 2ª e 3ª doses e estão enrolando] procurarem e não encontrarem a vacina", alerta Adriane.


VACINA É A PRINCIPAL PROTEÇÃO CONTRA COVID


A coordenadora lembra que Unaí viu muitas pessoas se infectarem, outras tantas precisarem ser hospitalizadas, intubadas, sofrerem muito e até morrerem em decorrência da covid-19. E, como se não bastasse, novas variantes do vírus continuaram (e continuam) surgindo e entrando no Brasil. "Se ocorrer uma nova epidemia, a vacina é a principal forma de proteção", adverte. Ela lembra que a proteção integral só é garantida com as doses de reforço vacinal preconizadas pelas entidades sanitárias.


Mas não é só vacinar, segundo Adriane. É importante (e necessário) a população continuar seguindo os protocolos sanitários que determinam o uso de máscara facial, manutenção da distância entre as pessoas e higienização frequente das mãos (com água e sabão ou com álcool em gel).


Juntamente com a vacinação de reforço, a falta de distanciamento social, verificada em Unaí, é uma das facetas que mais preocupam a coordenadora. "As pessoas estão vivendo a vida normalmente, aglomerando, festejando, farreando. A gente orienta a pessoa que, chegada sua vez, tome todas as doses preconizadas da vacina. Vamos colaborar com o controle da doença. Em Unaí, muitas pessoas foram a óbito, perdemos familiares, parentes, amigos, conhecidos, foi muito triste. Então, vamos evitar uma nova onda dessa doença".

 

vacxx 0001