topo ban fine

 
 

servicos solicitar banner

Combate à dengue: PMU muda horário dos agentes, para melhor atender população

Os agentes de combate a endemias (AGE), que hoje trabalham de segunda a sexta, das 7h às 11h e das 13h às 17h, terão seu horário de trabalho modificado a partir da segunda-feira, 2 de março. Nas terças e quintas-feiras, os AGE trabalharão das 9h às 13h e das 15h às 19h. Como a maioria dos moradores trabalha, a mudança de horário dos agentes visa encontrar os moradores em casa em horários alternativos: na hora do almoço e logo quando chegam a casa, provenientes do trabalho. A Secretaria de Saúde de Unaí (Sesau) pede à população que atenda bem os agentes, porque essas modificações estão sendo feitas para beneficiar a população, no sentido de melhor combater a dengue na cidade.

 

"Achamos por bem mudar o horário de trabalho dos agentes, porque no horário atual eles não estão conseguindo achar o morador em casa. Isso porque o horário de trabalho dos agentes e moradores está coincidindo", justifica a coordenadora de Epidemiologia da Sesau, Adriane Araújo. Ela ressalta que o morador já se acostumou com o horário de trabalho dos agentes e poderia estranhar a chegada deles nas residências em horários diferentes, a partir de 2 de março.

 

BAIRROS MAIS AFETADOS

 

O combate à dengue está mais intenso nos bairros onde há o maior número de casos positivos (pessoas acometidas): Cachoeira, Centro, Primavera, Cidade Nova, Sagarana, Santa Luzia e Riviera Park. Nessas áreas, os agentes de combate a endemias estão fazendo o bloqueio com inseticida nos quintais das casas e arredores, cobrindo todo o quarteirão.

 

Adriane Araújo alerta, porém, que de nada adianta o agente borrifar inseticida no quarteirão onde há casos de pessoas doentes, fazendo o bloqueio, se os criadouros de larvas não forem eliminados. "O inseticida só atinge o mosquito adulto, pronto para voar. Mas se tiver água parada, larvas vão virar mosquito em poucos dias, e assim o ciclo vai continuar". O mosquito da dengue não realiza voos longos, ficando sempre na mesma região.

 

ATENDIMENTO NAS UNIDADES

 

Em Unaí, nesses dois primeiros meses do ano, a Sesau notificou 648 casos suspeitos de dengue e 180 já positivados por exames.

 

Febre alta, dor de cabeça forte, dor atrás dos olhos, manchas e coceiras na pele, dor no corpo e articulações, fraqueza e cansaço, perda do paladar e apetite, náusea, vômitos e tontura. Se a pessoa tiver um ou mais desses sintomas, deve procurar o PSF de referência. Caso não seja referenciado na Estratégia de Saúde da Família, deve procurar a Central de Regulação.

 

A Regulação encaminhará a pessoa para a Policlínica, onde há um médico de referência no atendimento à dengue (para quem não possui cobertura de PSF). A pessoa com suspeita de dengue não deve procurar diretamente o Pronto-Atendimento (PA) do Hospital Municipal, que deve ser procurado nos dias e horários em que não há atendimento nas unidades básicas (sábados, domingos, feriados e à noite).

 

O paciente deve buscar também o PA em casos de urgência e emergência, no caso da dengue quando o paciente apresentar sinais que classificam os grupos de alarme ou de choque, ou os sintomas mais graves produzidos pela doença. A situação do paciente é classificada pelos profissionais de saúde, e o tratamento (e acompanhamento) ministrado conforme a classificação.

 

insett 0001

SmartNews.com
Previsão do Tempo

Siga-nos

    facebook FaceBook
insta icon Instagram
Twitter
linkedinico LinkedIn

Banco de Notícias

Assessoria de Comunicação Social e Relações Públicas - comunicaaiunai@gmail.com   -  (38)3677-9610 Ramal 9039
other a Sala de Imprensa (clique)

Notícias publicadas no período: 29/03/2005 até 17h24 do dia 13/12/2012