topo ban fine

 
 

servicos solicitar banner

Limpeza e precaução evitam acidentes com escorpiões; Ministério desaconselha dedetizar

A morte da menina Ana Júlia, vítima de picada de escorpião, provocou comoção municipal e trouxe à baila temas recorrentes, como o combate aos esconderijos dos escorpiões e a prevenção aos acidentes por picadas. O escorpião se aloja em locais de difícil acesso e sai para se alimentar durante a noite.

 

A principal recomendação é manter limpos os quintais (eliminando pilhas de tijolos, telhas, madeiras); limpar caixas de gordura e rede de esgoto; rebocar paredes e muros; não deixar frestas e buracos em portas, janelas e rodapés; acondicionar o lixo doméstico, entre outras medidas de prevenção.

 

O alimento predileto dos escorpiões é a barata. Eliminar as baratas já é meio caminho andado para manter o escorpião longe de casa. Manter fechados os ralinhos de pias, banheiros ou áreas de serviço são medidas de proteção igualmente importantes.

 

"Cada morador deve manter sua casa limpa, seu quintal livre de sujeira e entulhos, e evitar que o escorpião se esconda", alerta a coordenadora de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, Adriane Araújo.

 

Dedetização

 

Adriane Araújo ensina que a aplicação de veneno para matar escorpiões é medida inócua. A orientação é não usar veneno, que isso apenas desaloja o animal, mas não o extermina. "Inseticida só irrita o escorpião. O Ministério da Saúde não recomenda o uso de veneno nesse caso".

 

O escorpião existe há 400 milhões de anos e sobreviveu aos variados acontecimentos registrados no planeta. Ele pode viver em qualquer região da Terra, sem alimento, sem água e sem se movimentar durante longos períodos, podendo chegar a dois anos.

 

De longe, ele capta o cheiro do veneno e foge. O escorpião pode fechar o pulmão, para não respirar, e o veneno não o agredir a ponto de matá-lo. Diante do veneno, ele não morre, mas fica agitado.

 

Entre os predadores do escorpião, destacam-se os gansos, galinhas, corujas, sapos e calangos.

 

Acidentes

 

De hábito noturno, o escorpião pica quando há "perigosa" aproximação ou se sente ameaçado. "Ele só pica a pessoa quando é pisado ou se alguém se encostar nele", explica a coordenadora.

 

Para evitar o contato, a pessoa deve olhar dentro dos sapatos antes de calçar, sacudir roupas, não deixar toalhas e camas encostadas na parede, evitar roupas de cama e cortinas barrando no chão e ficar bastante atento à presença do escorpião. Ele é endêmico em Minas Gerais e já se espalhou por todos os bairros de Unaí.

 

Em caso de acidente, a vítima deve ser levada imediatamente para o Pronto-Atendimento do Hospital Municipal, para receber a assistência emergencial, conforme alerta Adriane. "É importante iniciar rapidamente o tratamento. É o que mais conta. Se demorar, o estado do paciente pode se agravar".

 

Ao deparar com escorpião, o cidadão deve entrar em contato com o Centro de Controle de Zoonoses (3676-4615) ou com a Secretaria Municipal de Saúde (3677-5049, ramal 206). A Sesau envia agentes ao domicílio para uma verificação e orienta os moradores sobre medidas de prevenção e combate aos animais peçonhentos.

 

scorpii 0001

SmartNews.com
Previsão do Tempo

Siga-nos

    facebook FaceBook
insta icon Instagram
Twitter
linkedinico LinkedIn

Banco de Notícias

Assessoria de Comunicação Social e Relações Públicas - comunicaaiunai@gmail.com   -  (38)3677-9610 Ramal 9039
other a Sala de Imprensa (clique)

Notícias publicadas no período: 29/03/2005 até 17h24 do dia 13/12/2012