Semana Florestal: Praça JK é palco para distribuição de mudas e ações de conscientização

"Isso é uma maravilha. Tem mesmo de distribuir árvores para o povo plantar. A nossa cidade de Unaí tem sede de árvores". A manifestação é da professora Maria Agdalma Silva, ao receber uma muda de árvore doada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente. As mudas foram distribuídas ao público na Praça JK, na manhã desta sexta-feira (27/9), para celebrar a Semana Florestal, campanha do Estado (em parceria com o município) para conscientizar a população sobre a necessidade de preservação ambiental. "Nascentes de Minas" é o mote da campanha deste ano. Instituto Estadual de Florestas (IEF) e Polícia Militar de Meio Ambiente montaram estandes na praça para oferecer orientações à população. O público-alvo foi principalmente os estudantes.

 

Eram mais de 1.000 mudas à disposição de quem se interessasse. A Secretaria de Meio Ambiente doou mudas de árvores frutíferas e ornamentais para arborização urbana. E o IEF distribuiu mudas de espécies nativas do cerrado, para reflorestamento de nascentes, de veredas e de áreas rurais.

 

Ao receber uma muda de planta ornamental, a professora Agdalma apontou para uma árvore da espécie pau-ferro na praça da prefeitura e observou: "essa eu plantei aqui na praça há muitos anos, em um evento público. A outra é um ipê amarelo que plantamos aqui também na praça, eu e os meus alunos da Escola Teófilo Martins Ferreira".

 

Apaixonada por plantas e árvores, Agdalma mora na rua Nossa Senhora do Carmo, numa casa com jardim na frente. Ela lamenta não haver mais árvores em frente às casas da Nossa Senhora do Carmo, Centro da cidade. "Toda casa da rua, antes, tinha uma árvore na frente. Cortaram todas", lamenta. Para a professora, todas as ruas de Unaí deveriam ser igual à avenida Princesa Isabel, "bem arborizada". Com esse sentido, ela chamou de "maravilhoso" o programa de distribuição de mudas promovido pela Prefeitura.

 

A produção de mudas no Viveiro Municipal é bastante expressiva. De acordo com a secretária Municipal de Meio Ambiente, Cátia Regina Rocha, são produzidas de 3.000 a 5.000 mudas todas as semanas. Para atingir números tão significativos, a Secretaria de Meio Ambiente – gestora do Viveiro Municipal – conta com a ajuda de alguns segmentos da sociedade, incluindo escolas e faculdades.

 

Reflorestamento

 

Enquanto a Prefeitura atua na produção de mudas para arborização urbana, o IEF produz em seu viveiro mudas para reflorestamento de áreas rurais. Normalmente, as mudas do IEF entram na recuperação de áreas desmatadas ou degradadas pela atividade humana. Mas também há doação aleatória de até 50 mudas para quem quer plantar em chácaras, assentamentos.

 

Na Semana Florestal de 2019, a orientação estadual aponta para a recomposição de matas ciliares e recuperação de áreas degradadas próximas às veredas e nascentes.

 

Indagado sobre o problema das queimadas na região, o analista ambiental José de Paula Martins respondeu que existem queimadas legais e controladas, com autorização do IEF, e uma maioria de ilegais, que são caso para a Polícia Militar de Meio Ambiente.

 

Fauna

 

O estande da Polícia Militar de Meio Ambiente na Praça JK foi um atrativo à parte para crianças e adultos. Além dos animais taxidermizados (empalhados), uma cobra píton mexeu com a curiosidade dos presentes. Não foram poucos os que posaram para fotos, inclusive carregando a grande serpente. Tudo sob controle e supervisão do cabo PM Braytner.

 

Além das espécies vegetais e dos recursos hídricos, os animais do cerrado também foram celebrados como alvo de preservação. Comandante da 16ª Companhia de Polícia Militar de Meio Ambiente, major Lobo disse não ser raro deparar com animais da fauna silvestre mortos nas estradas da região, vítimas de atropelamento.

 

Outra ameaça à fauna regional é a caça. "Caçar os animais é crime", o militar adverte. Crime que rende cadeia e abertura de processo na Justiça.

 

O "controle populacional" do javali é o único permitido na região, segundo o major Lobo. Ele explica que o javali é uma espécie "invasora" na fauna brasileira, declarado "nocivo" pelo Ibama. Por isso, o javali pode ser "controlado" desde que sejam observados alguns procedimentos. O militar, porém, deixa o alerta: "existe sim o manejo dessas espécies invasoras. Mas quem tem interesse em praticar, antes tem de procurar a polícia, para obter as instruções e não incorrer em nenhum tipo de crime".

 

Com relação às queimadas, o major reafirmou serem permitidas somente se feitas com autorização da Supram-IEF. Queimadas criminosas, por outro lado, são passíveis de multa, cadeia e processo na Justiça. E quando provocadas em beiras de rodovias, as queimadas possuem agravantes na aplicação das multas.

 

 seflorr 0008

seflorr 0009

seflorr 0001

seflorr 0002

seflorr 0003

seflorr 0004

seflorr 0005

seflorr 0006

seflorr 0007