UNAÍ – 77 ANOS – FELICIDADES!!! - FELIZ CIDADE!

"Houve um tempo em que somente o silêncio comandava essas vastidões de opulentas terras...

... De repente, em determinado trecho, surge uma choupana às margens do rio...
Eis uma família...

Eis um passador de canoa que se equilibra na dança das águas ...

Eis um porto, onde se pudesse deixar a humilde embarcação destinada a travessia e o comércio que dali por diante iria se iniciar....

Assim foi o seu começo"

*Maria Torres Gonçalves – Pioneira – Professora – Poetisa – Historiadora*
*14/12/1917 + 30/04/2008

Desde o ano de 1650 já havia transitado por essas terras homens aventureiros em busca de riquezas.

Muito tempo depois, os irmãos Manuel e Antônio Pinto Brochado, no século XIX, vindos de Paracatu do Príncipe (Paracatu), chegam a essa terra e adquirem a fazenda Capim Branco. Mais abaixo, na beira do rio, começam a surgir as primeiras casinholas.
O filho de Antônio, Domingos Pinto Brochado, com a colaboração das primeiras famílias, responsabiliza-se pelas construções exigidas pela Lei Provincial 1993, de 13 de novembro de 1873, para a instalação do distrito.

Os quesitos eram: Casa de Escola e Igreja Decente.

Nesse início construíram também o cemitério e a primeira ponte do local.
Nasceram pequeninas ruas. Brotaram mais casas. Retalharam a terra para a formação de novas fazendas. Formou-se o arraial de costumes simples onde todos eram unidos e se queriam de verdade.

Distrito do Rio Preto, pertencente a Paracatu, foi seu primeiro nome, depois Capim Branco e finalmente Unaí. Nome que vem da língua Tupi e significa UNA - Preto, Í - Água.

O Decreto-lei estadual 1058 de 31 de dezembro de 1943 elevou Unaí a sede do município.

Hoje, aos 77 anos, Unaí se desponta como uma cidade promissora e progressista e conta, segundo o IBGE com 84.930 habitantes. Tem como seu principal destaque econômico a agropecuária e seu comércio também é forte atrai visitantes e cria negócios para várias cidades da região.

Conversamos com o prefeito em exercício Waldir Novais, sobre o atual momento que a cidade vive.

Waldir Novais, foi reeleito vice-prefeito, na chapa que formou com o também reeleito prefeito Branquinho, que se encontra hospitalizado.

Waldir informou que em razão das medidas de enfrentamento à Covid, as tradicionais celebrações do aniversário da cidade não serão feitas.

O feriado do dia 15 de janeiro, também foi cancelado, de forma que o comércio e demais atividades no município funcionam normalmente.

Esse cancelamento tem por objetivo proteger a saúde dos unaienses, na medida em que se evita possibilidades de aglomerações, uma das formas mais comuns de contágio da Covid-19.

 

ENTREVISTA COM O PREFEITO EM EXERCÍCIO WALDIR NOVAIS

REPÓRTER: No que diz respeito ao comando do Executivo Municipal, Unaí vive um momento único em sua história nesta data em que comemora 77 anos, qual é a sua visão sobre esse momento?

WALDIR NOVAIS: Como você diz, o momento é único mesmo, pois aguardamos com ansiedade a posse do nosso prefeito Branquinho, que reeleito, e diplomado pela Justiça Eleitoral, por se encontrar ainda hospitalizado, como consequência de contaminação por Covid-19, não tomou posse.
É também um momento de muita fé, de oração, e de otimismo quanto ao restabelecimento da perfeita saúde de Branquinho, e seu retorno às atividades normais, rogamos a Deus, que ocorra em breve.
As atuais notícias quanto ao estado de saúde de Branquinho, é que se encontra estável e em recuperação.

REPÓRTER: Como tem sido administrar Unaí, na condição de prefeito em exercício?

WALDIR NOVAIS: Jamais gostaria de estar como prefeito em exercício pelos atuais motivos, que é o problema de saúde do meu amigo Branquinho. Eu e Unaí gostaríamos que ele estivesse aqui conosco, saudável, e fazendo o que mais gosta de fazer, administrar Unaí, com sua competência e responsabilidade.

Tendo dito isso, avalio como desafiadora a condição de prefeito em exercício, e para superar esse desafio temos colocado em prática os princípios que observamos no Branquinho nos longos anos de convivência profissional. Trabalhei junto a ele nos 8 anos do governo do Prefeito Antério, ele era Vice-Prefeito e Secretário de Governo. Eu fui Secretário da Fazenda naqueles 8 anos. Depois são mais 4 anos, onde atuei ao lado dele como vice-prefeito e Secretário de Governo. Aprendi muito. Nas decisões do dia a dia, nós nos inspiramos nesse aprendizado, naquilo que aprendi com meu saudoso pai, e com a divina inspiração de Deus e de Nossa Senhora da Rosa Mística, a quem guardo devoção.

REPÓRTER: E com relação ao aniversário de Unaí, 77 anos de história, o que dizer?

WALDIR: Dizer, antes de tudo de nossa gratidão a Deus, por ter abençoado nossa cidade com terras férteis, e um povo trabalhador, honesto, hospitaleiro e solidário, o unaiense é assim. Tanto aqueles que como eu, nasceram aqui, quanto aqueles que vindo de outras cidades, estados e países, escolheram Unaí para morar e criar seus filhos.
Do alto desses 77 anos de história, na condição de prefeito em exercício de Unaí, nossa gratidão, a Deus e a todas as pessoas que trabalharam e trabalham para que Unaí seja, a cidade que é, uma das mais importantes de Minas Gerais e do Brasil. Obrigado Deus, Obrigado unaienses, parabéns Unaí!

 

UNAÍ 77 ANOS: O FUTURO JÁ COMEÇOU

O município (distante 600 km de Belo Horizonte e 170 km de Brasília) se destaca pela sua atividade econômica, especialmente a produção agrícola de alta escala, que utiliza tecnologia de ponta (o que há de mais moderno no mundo é aplicado aqui). A produção de grãos tem relevo nacional. Foram 730,3 mil toneladas produzidas em 2019, o que torna o município o principal produtor de grãos de Minas Gerais e um dos maiores do país.

Soja, feijão, milho, sorgo, arroz, algodão, café são destaques na produção local. A produção de soja atingiu 330 mil toneladas em 2019, a de milho chegou a 310 mil toneladas no mesmo período (dados da Emater, 2020). Para manter a produtividade elevada, são utilizados 73,9 mil hectares de área irrigada, com 827 pivôs centrais ativos (dados da Irriganor, 2020). Somada a área irrigada de Unaí às de Paracatu e Cristalina (GO), tem-se a maior porção de área irrigada da América Latina.

Unaí também ocupa lugar de destaque na produção leiteira nacional. A produção unaiense chega aos 200 mil litros por dia, gerada principalmente em áreas conhecidas como "de vão". A circulação do produto em Unaí, porém, é maior, já que aproximadamente 500 mil litros de leite passam por dia pela Cooperativa Agropecuária de Unaí (Capul), provenientes de vizinhos como Arinos, Bonfinópolis de Minas, Buritis, Cabeceira Grande, Dom Bosco, Natalândia, Paracatu, Uruana de Minas e Cabeceira de Goiás.

A maior parte do leite segue para o sistema CCPR/Itambé, mas sai também para Coopervap (Paracatu), Coopatos (Patos de Minas), Parmalat, Piracanjuba. Parte menor é absorvida no consumo municipal interno e utilizada ainda na fabricação de manteiga, doce, queijos, requeijões.

No quesito agricultura familiar, aproximadamente 5.000 famílias atuam na pequena produção. Trinta e dois assentamentos da reforma agrária (mais dois em formação), dão volume à produção familiar. Estima-se que dos mais de 84 mil habitantes de Unaí, entre 10 mil e 15 mil vivam na zona rural, distribuídos por chácaras, sítios, fazendas, distritos, povoados e aglomerados.

Dos 8.492 km² da área total do município, número que o torna o segundo em extensão territorial de Minas Gerais, 70% do território são utilizados na atividade agropecuária.

COMÉRCIO E SERVIÇOS

Das 10.684 empresas legalmente constituídas em Unaí, 4.064 são estabelecimentos comerciais, outro importante segmento da economia unaiense. O setor comercial é complementado por iniciativas de prestação de serviços, cooperativas do agronegócio, escritórios de profissionais liberais, entidades educativas e de saúde, entre outros. São cerca de 25 mil pessoas empregadas no setor de comércio e serviços. A média salarial dos empregados unaienses gira em torno de R$ 2 mil.

Nos últimos 20 anos, o setor educacional de Unaí deu um salto, tanto na quantidade de vagas ofertadas nas escolas públicas, quanto na criação de instituições de nível superior e técnico.

No quesito ensino superior, a alavancagem começou com a instalação da Factu (Faculdades de Ciências e Tecnologia de Unaí) em 1997. Logo em seguida, em 1998, a Cenec/Inesc iniciou suas atividades. Na sequência, o município ganhou os cursos da área de saúde da Facisa, buscou um anexo da Unimontes e, mais recentemente, recebeu um campus da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Juntas, essas instituições oferecem cerca de 30 cursos superiores, que partem inicialmente do pioneiro Ciências Contábeis, passam pelos tradicionais Direito e Administração, e chegam aos inovadores Análise e Desenvolvimento de Sistemas e o de Sistemas para Internet.

São cerca de 50 unidades de ensino infantil, fundamental e médio, de natureza pública e privada existentes em Unaí. Mais de 40 são públicas, especialmente da rede municipal de ensino, algumas instaladas nos distritos. Para atender os alunos da zona rural, a Prefeitura de Unaí controla mais de 20 linhas de ônibus do transporte escolar municipal, que percorrem mais de 11 mil quilômetros, diariamente.

No segmento da saúde, o município possui o Hospital Municipal Doutor Joaquim Brochado (com Pronto-Socorro e laboratório anexo). A unidade, no entanto, funciona como hospital regional, pois atende outros 11 municípios pactuados com Unaí pela Regional de Saúde, órgão da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais. A Policlínica, para atendimentos médicos especializados, também atende a microrregião de saúde. No setor privado, Unaí conta com três hospitais particulares e uma considerável rede de clínicas, laboratórios e farmácias.

Por ser polo regional, Unaí recebe diariamente número expressivo de pessoas provenientes dos municípios vizinhos, que buscam a cidade para compras, negócios e tomada de serviços (públicos e privados).

Além da rede comercial e bancária, Unaí ainda é sede regional de várias instituições públicas que atuam nas frentes de educação, saúde, agricultura e pecuária, sanidade animal e vegetal, meio ambiente e segurança pública – são elas Gerência Regional de Saúde, Superintendência Regional de Educação, Emater, IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária), SupramNor (Superintendência Regional de Meio Ambiente do Noroeste de Minas), IEF (Instituto Estadual de Florestas), Polícia Militar, Polícia Civil, Sistema Prisional.

Possui ainda a unidade do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (fórum da comarca), unidade da Administração Fazendária (da Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais) e unidade da Justiça Federal.

 

77a 0001